25/01/2008

Aids: um vírus e muitas mortes.

Um dos fatos mais tristes e trágicos que presenciei nas últimas décadas foi o surgimento da Aids. Sem dúvida, ela veio para aterrorizar e iniciou uma nova fase na história da humanidade.
Lembro claramente, em 1989, que a morte de Lauro Corona me surpreeendeu. Um ator jovem e bonito, não teve muito tempo para brilhar. Até então pouco se sabia sobre a doença. O pior de tudo foi acreditar que ela afetava somente o grupo de risco, homossexuais e usuários de drogas que compartilhavam seringas. Até foi assim durante um breve período. Mas ela se espalhou e se espalhou igual a uma peste. Mulheres contaminadas pelos próprios maridos, heterossexuais, crianças, transfusões de sangue contaminando pacientes. Eu realmente achei tudo isso assustador. Parecia que a Aids nunca seria controlada. O medo era constante, pois cada confirmação de soro positivo era uma sentença de morte.
Hoje, apesar de sabermos exatamente como evitá-la e mesmo existindo medicamentes capazes de prolongar a vida dos doentes, nada apaga a lembrança dos muitos que se foram, nem diminui a tristeza pelos muitos contaminados, muito menos reduz o medo de adquiri-la.
E
u não me convenço com acasos ou fatalidades. Acredito que tudo que acontece, é porque tem que acontecer. E, sinceramente, não condeno quem pratica sexo liberal. Mas de certa forma a Aids veio para colocar um freio na situação. Veio para fazer pensar, para racionalizar um instinto irracional e conduzi-lo a uma forma sadia e responsável de ter prazer.
Espero que um dia tenhamos a boa notícia de que uma vacina foi desenvolvida para controlar definitivamente este monstro. Mas por hora, o que vale é usar a cabeça e se prevenir. E, acima de tudo, respeitar e tratar com dignidade as pessoas que infelizmente se contaminaram.
(Nas fotos: Lauro Corona, Cazuza, Freddie Mercury e Rock Hudson, levados pela Aids).

3 comentários:

Leonardo disse...

Betty, seu post é muito bonito e sensível. Obrigado por falar de LAURO CORONA e de CAZUZA, duas pessoas que amo muitíssimo. Saudades eternas desses dois! Que Deus os tenha em bom lugar. Para sempre no meu coração. Um abraço!

Ivan disse...

Beth, que pena que só agora li seu blog sobre a AIDS,como o Leonardo acima falou vc me fez matar saudades de duas pessoas lindas e que continua fazendo falta ao meio artistcico e a mim lógico!
Parabéns pelo blog e boa sorte!
Ivan/São Paulo

Betty Cires disse...

Obrigada Ivan e Leonardo pelos comentários. A verdade é que a morte somente faz aumentar o carinho que temos pelos muitos que partem para nunca mais voltar!Abraços.